domingo, janeiro 17, 2021

Menandro, fr. 181

De muitos modos não é belo o dito
"Conhece-te a ti mesmo". Mais útil
é "conhece os outros"

Trad. Rafael Brunhara

 

segunda-feira, dezembro 21, 2020

Epitáfio para um cão (IG 14.2128)



Τὴν τρίβον ὃς παράγεις, ἂν πως τόδε σῆμα νοήσῃ 
μή, δέομαι, γελάσῃς, εἰ κυνός ἐστι τάφος· 
ἐκλαύσθην· χεῖρες δὲ κόνιν συνέθηκαν ἄνακτος,  
ὅς μου καὶ στήλῃ τόνδ’ ἐχάραξε λόγον.

Tu, que segues pela estrada, se vires este monte de terra,  
peço, não rias porque é o túmulo de um cão.  
Fui chorado. As mãos de meu senhor que ajuntaram a areia
e foi ele que gravou estas palavras em minha lápide. 

Tradução: Rafael Brunhara

 Fonte: IG 14.2128 (inscrição sem data, perto de Florença). 
Imagem: Mosaico do período helenístico (200-150 a.C.). Fonte: Wikimedia Commons. 

domingo, dezembro 20, 2020

Antologia Palatina - Epigramas Cristãos

 

Sobre o Nascimento de Cristo (1.37)

Trombetas e relâmpagos: a terra treme.

    Mas desceste em silêncio ao ventre virgem.

 

Sobre o mesmo assunto (1.38)

A manjedoura é o Céu, é até maior que o Céu:

     o Céu é obra deste bebê.

 

Sobre o mesmo assunto (1.39)

Um só coro, um só canto, para homens e anjos:

     homem e Deus fizeram-se um só.

 

Sobre o mesmo assunto (1.40)

A manjedoura é o Céu, é até maior que o Céu:

     pois foi ela que acolheu o Rei dos celestes.

 

Sobre os magos (1.41)

Não mais os magos levam presentes ao fogo e ao sol:

 este recém-nascido fez o sol e o brilho do fogo.

 

Sobre a Anunciação (1.44)

Salve, grácil donzela, mais venturosa, noiva imaculada:

    terás em teu ventre o filho de Deus, concebido sem pai.


[Tradução: Rafael Brunhara]