domingo, maio 26, 2013

Bábrio, Fábula 10: Afrodite e a Escrava

Αἰσχρῆς τις ἤρα καὶ κακοτρόπου δούλης
ἰδίης ἑαυτοῦ, καὶ παρεῖχεν αἰτούσῃ
ἅπανθ' ἑτοίμως. ἡ δὲ χρυσίου πλήρης,
σύρουσα λεπτὴν πορφύρην ἐπὶ κνήμης,
πᾶσαν μάχην συνῆπτεν οἰκοδεσποίνῃ. (5)
τὴν δ' Ἀφροδίτην ὥσπερ αἰτίην τούτων
λύχνοις ἐτίμα, καὶ καθ' ἡμέρην πᾶσαν
ἔθυεν ηὔχεθ' ἱκέτευεν ἠρώτα,
ἕως ποτ' αὐτῶν ἡ θεὸς καθευδόντων
ἦλθεν καθ' ὕπνους, καὶ φανεῖσα τῇ δούλῃ (10)
“μή μοι χάριν σχῇς ὡς καλήν σε ποιούσῃ·
τούτῳ κεχόλωμαί” φησιν “ᾧ καλὴ φαίνῃ.”
[Ἅπας ὁ τοῖς αἰσχροῖσιν ὡς καλοῖς χαίρων
θεοβλαβής τίς ἐστι καὶ φρένας πηρός.]


Um homem se apaixonou por uma escrava feia
e maldosa, a sua própria, e dava-lhe tudo
que pedia, prestativo. E ela, cheia de ouro,
desfilando com  um fino vestido púrpura,
toda a vez brigava com a dona da casa. (5)
Afrodite, como autora desses feitos,
era quem ela honrava com as lâmpadas
e todo o dia sacrificava, orava, suplicava,pedia,
até que um dia, quando ambos dormiam,
a Deusa apareceu em sonho para a escrava: (10)
"Não me agradeças por te fazer bonita" - disse -
"Eu é que me irrito com ele, que te achas bela."
[Todo aquele que se compraz com coisas feias
como se fossem belas, ofende os Deuses e está fora de si]

[Tradução: Rafael Brunhara]

Um comentário:

Artur Morais disse...

Fabuloso!
Ótimo trabalho, parabéns ao blog.