quarta-feira, dezembro 05, 2018

Xenófanes, fr. 15 D-K

ἀλλ' εἰ χεῖρας ἔχον βόες <ἵπποι τ'> ἠὲ λέοντες
ἢ γράψαι χείρεσσι καὶ ἔργα τελεῖν ἅπερ ἄνδρες,
ἵπποι μέν θ' ἵπποισι, βόες δέ τε βουσὶν ὁμοίας
καί <κε> θεῶν ἰδέας ἔγραφον καὶ σώματ' ἐποίουν
τοιαῦθ', οἷόν περ καὐτοὶ δέμας εἶχον <ἕκαστοι>.

Mas se mãos tivessem os bois <cavalos> e leões
ou pudessem desenhar com as mãos e fazer obras como os homens,
então os cavalos, símeis a cavalos, e bois, símeis a bois
desenhariam as formas dos deuses e comporiam seus corpos
tal e qual o porte que <cada um deles> tem.


Trad. Rafael Brunhara

quarta-feira, novembro 21, 2018

Calímaco, Epigrama 27

Ἡσιόδου τό τ' ἄεισμα καὶ ὁ τρόπος· οὐ τὸν ἀοιδῶν
         ἔσχατον, ἀλλ' ὀκνέω μὴ τὸ μελιχρότατον
τῶν ἐπέων ὁ Σολεὺς ἀπεμάξατο· χαίρετε λεπταί
           ῥήσιες, Ἀρήτου σύμβολον ἀγρυπνίης.



De Hesíodo, a canção e o modo. Não no aedo
         exímio, mas creio que nos mais doces
 versos o homem de Sólos se moldou. Olá,
        breves linhas, sinal da vigília de Arato! 

Trad. Rafael Brunhara

quarta-feira, outubro 31, 2018

Persas, vv. 230-242


A derrota de Xerxes pelos atenienses parece certa. Enquanto isso, em Susa, capital do Império, a rainha, apreensiva, quer saber sobre que tipo de povo teria aniquilado as ambições despóticas de seu filho. É a liberdade política de Atenass a causa da queda do grande exército persa. 

Rainha
[...]Isto é o que eu quero saber,
amigos: em que terra fica Atenas?

Corifeu
 Longe, no poente, onde recosta-se o Sol soberano.

Rainha
E ainda assim meu filho deseja destruir essa cidade?

Corifeu
 Sim. Toda a Hélade se tornaria súdita do rei.

Rainha
Eles têm, então, um exército cheio de guerreiros?

Corifeu
Um exército tal que fez aos Persas muitos males.

Rainha
O que mais além disso? Bastante riqueza no lar?

Corifeu
 Têm fonte de prata, tesouro da terra.

Rainha
A seta que retesa o arco é notável em suas mãos?

Corifeu
Não! Portam lanças no corpo a corpo, escudo e armadura.

Rainha
Mas quem apascenta o povo? Quem é o senhor das tropas?

Corifeu:
Eles não se consideram escravos nem súditos de ninguém!

[Trad. Rafael Brunhara]