sexta-feira, novembro 30, 2007

Anacreonte - Fr.357

Soberano, com quem o Amor subjugador
e as ninfas de olhos azuis
e a purpúrea Afrodite
brincam, quando estás
nos altos píncaros das montanhas!
Suplico-te; e tu de espírito compassivo
vem até mim, para ouvires
a minha grata prece.
Sê bom conselheiro de Cleobulo,
para que o meu amor,
Ó Dioniso, ele aceite.

(Trad. Frederico Lourenço)

quarta-feira, novembro 28, 2007

Safo 105 L-P

Tal uma doce maçã rubra, que brilha no alto dos ramos,
mesmo no cimo de tudo, esquecida dos que andavam na colheita,
- esquecida não, é que não conseguiram antingi-la.

[Tradução de Maria Helena da Rocha Pereira]

segunda-feira, novembro 26, 2007

Anacreonte, Fr.68 Page

Com um grande machado, tal um ferreiro, de novo,
Eros me bate e mergulha-me numa torrente invernal.


Tradução: Maria Helena da Rocha Pereira

terça-feira, novembro 20, 2007

Simônides - 541 PMG

Sendo homem, não digas nunca o que acontece amanhã
E, se vires alguém feliz, quanto tempo o será.
Rápida como o volver de asas de uma mosca,
Assim é a mudança da fortuna.


Tradução: Maria Helena da Rocha Pereira

domingo, novembro 11, 2007

Arquíloco - Fr.193W

Voraz tesão, mofino, arfante, inclina-me:
Na areia as moles carnes, e mais nada:
Pois a ossatura já moeram os deuses na porrada.

[Tradução: Antônio Medina Rodrigues]

Anacreonte 358 PMG

O amor dos cabelos de ouro
lança-me a bola vermelha
e quer que eu jogue com a moça
das sandálias coloridas.

Mas a jovem — que é de Lesbos,
a bem construída — faz pouco
de meus cabelos já brancos
e olha ardente para um outro.

[Tradução: Péricles Eugênio da Silva Ramos]